Skip to content
  • 13 Março 2004

Charge é tema de mestrado

As charges de Régis Soares, todo mundo da cidade já conhece. E se por acaso alguém ainda não a conhece, basta ir ao bairro da Torre, onde estão em exposições diariamente. O chargista mais famoso da capital paraibana já protagonizou polêmicas com representantes dos poderes públicos, realizou diversas exposições e publicou dois livros-'Pintando o Sete e Desenhando os Outros' e 'Charges na Rua' -, além de ser assunto de reportagens, entrevistas e artigos, no jornal, no rádio e na televisão. Mas faltava algo mais...

Régis, agora é objeto de uma dissertação de mestrado, intitulada 'entre o discurso e a ironia: o pintar o sete e desenhar o outros no discurso humorístico', cuja defesa, pela autora, a mestranda Francineide Fernandes de Melo, acontece hoje às 9 horas, no auditório 411 do Centro de Ciências Humanas, letras e artes(CCHLA) da Universidade Federal da Paraíba. O trabalho foi orientado pela professora Ivone Lucena, do curso de Pós Graduação em Letras da UFPB.

Em sua dissertação, francineide analisa 21 charges cedidas por Régis – umas retiradas do seu acervo fotográfico, outras estudadas nos dois livros do artista, que, de quebra ainda produziu obras exclusivas para ilustrar o trabalho da mestranda. Segundo ela, o estudo vem sendo desenvolvido a três anos, sobre orientação de Ivone Lucena, com o objetivo de 'refletir sobre as articulações significativa entre o homem, a história e a sociedade e, dessa forma, interpretar a relação do homem com a sua realidade no discurso de Régis'.

Outra meta a que se propõe Francineide, em sua dissertação, é analisar o discurso chárgico de Régis no que tange ao risível e como ele traz à cena as mazelas sociais, uma vez que na galeria de temas abordadas por esses artesões da linguagem, as personagens são celebridades que protagonizam a vida em sociedade. 'As charges de Régis geralmente instauram um toque de humor e irreverência ao assunto enfocado. São sempre repletas de significados críticos, numa harmoniosa união dos recursos lingüísticos com os desenhos e demais recursos de ilustração', destaca.
Após encerrar as fases de pesquisa e análise, Francineide chegou a conclusão que os textos humorísticos de Régis mostram que o discurso na charge revela valores, atitudes culturais e modos de expressão de uma determinada época, cria condições de reconhecer a riqueza de recursos da língua, usadas tanto nas mensagens visuais, como escritas.'As condições de produção das charges de Régis são caracterizadas dentro do contexto sócio-edeológico e são reveladas pela linguagem concebida como forma de ação sobre o mundo, dotada de intencionalidade, veiculadora de ideologia e respaldada pelo poder da discursividade', ressalta.

Francineide teve a atenção despertada para as chages de Régis quando ao se dirigir para o centro da cidade, vindo do conjunto dos Bancários, onde mora, observava os painéis que o artista mantém diariamente em frente ao seu ateliê, no bairro da Torre. 'Cursando a Disciplina de Análise do Discurso, propus a professora Ivone Trabalhar com esse gênero textual humorístico. A proposta foi aceita porque Ivone também é apaixonada pelo texto de Régis que tem toda uma riqueza irônica, semântica, discursiva, e que, portanto, poderia ser desenvolvido um trabalho pela lente da teoria da análise do discurso, pela linha francesa', acrescenta.

Régis por sua vez, que para ele é uma honra esta contribuindo para uma visão cientifica sobre a sua própria arte, como também para os estudos de Pós-Graduação da UFPB.
Francineide corrobora o que diz o artista ao explicar que seu estudo traz contribuições para uma visão mais ampla da leitura irônica.

Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Saiba tudo sobre nossas novidades, lançamentos e serviços...