Skip to content
  • 21 Dezembro 2002

Régis Soares Lança coletânea com as melhores de 2002

O chargista e caricaturista Régis Soares lança, neste sábado, a partir da 12h00, o livro 'Charges na Rua – Coletânea das melhores charges', no bar do Baiano, conjunto dos Bancários(por trás do Shopping Sul), com 96 unidades exposta no seu ateliê, Rua Etelvina Macedo de Mendonça (antiga Nossa Senhora de Fátima). Temas do cotidiano englobando políticos influentes, futebol, religião, do dia-a-dia, entre outros do cenário local e nacional.

'O Brasil é um prato cheio para fazer charges, a corrupção que rola solta em todos setores da esfera oficial, é um bom combustível para o chargista e humorista', comemora o artista. Com o título: 'A arte de fazer rir e pensar', o jornalista William Costa comenta que a comunicação do artista com o 'seu público' é direta, 'não há sofisticação gráfica nem textual. A charge do livro é a mesma do painel – musa apenas a proporção. Régis esta para humor gráfico como o artista primitivo esta para a pintura. Seu traço e sua mensagem não tem, por exemplo, o rebuscamento técnico e conceitual de um Caruso', declara.

Mass media

O Jornalista Gilson Renato lembra que Régis Soares, há 14 anos, colocou um pedaço da madeira contendo uma charge que chamava atenção da prefeitura e dos transeuntes para um velho buraco que, inundando, dificultava o acesso ao seu ambiente de trabalho. ' O artista acidentalmente, inventou um 'mass media' que, pela intensidade que comporta já, já se incorporou à nossa cultura e tornou-se status do patrimônio público.

Com mais de 12 anos com seu ateliê servindo de vitrine para suas charges que chamam atenção de quem passa no local, com mensagens apimentadas sobre os últimos acontecimento ocorridos em vários setores da sociedade, Régis Soares conta que tem o apoio cultural de sua mesa de desenho, e o patrocínio de sua força de trabalho. O seu ateliê recebe visitas de professores, estudantes, jornalistas, artistas, profissionais liberais, anônimos, de várias faixas sociais.

Para Régis Soares, o lado bom da sua profissão é quando o público entende sua mensagem. Régis acha que, como arte, a charge tem pouco estaco nos jornais e revistas. 'Acho que os jornais locais deveriam abrir mais espaço, como acontece na grande imprensa', cobra. Pai de dois filhos. Régis Soares começou a publicar suas charges no jornal O Momento durante nove anos. Teve seus trabalhos publicados em jornais como O Pasquim, Correio da Paraíba, O Norte, A Tribuna e outros veículos.


Adicionar Comentário

Comentários

  • Nenhum comentário encontrado
Saiba tudo sobre nossas novidades, lançamentos e serviços...